Conselho Tutelar tem atuação prejudicada por falta de estrutura de trabalho

Escrito por Agostinho Alves do Vale em . Publicado em GERAL

Desde o dia primeiro de janeiro de 2017 que um dos órgãos fundamentais, que garante o direito da criança e do adolescente, não tem estrutura para poder executar sua finalidade. O Conselho Tutelar de Boca do Acre, na gestão de José Maria Silva, volta e meia não tem combustível no carro, não dispõe de prédio próprio, está com salário defasado, além de uma série de outras questões que demonstram a falta de compromisso da prefeitura com o órgão.

A situação está tão precária, que há algumas semanas, um ofício assinado por todos os conselheiros tutelares comunicou à Câmara Municipal de Boca do Acre a deflagração de uma greve. O motivo, como consta no documento enviado ao presidente do Poder Legislativo, Adautivo da Silva, é a falta de estrutura e condições de trabalho que o Conselho Tutelar vem sofrendo desde o dia 1º de janeiro de 2017.

A paralisação dos trabalhos do CT estava prevista para ocorrer no próximo dia 10 de outubro. Os conselheiros reclamam de defasagem no salário, falta de apoio e reconhecimento por parte do poder público municipal. O ofício recebido pelo presidente da Câmara Municipal de Boca do Acre, também foi enviado ao Ministério Público Estadual e à Central dos Direitos Humanos da Presidência da República.

Sem gasolina e prédio

Há pouco mais de um mês, os conselheiros deixaram de atender o público por aproximadamente uma semana porque não tinham combustível no veículo. Conversamos com um dos integrantes do CT que afirmou que na ocasião, enviou várias solicitações ao Gabinete do Prefeito, pedindo a gasolina para poder atender as ocorrências.

Desde janeiro deste ano, um prédio foi alugado para o funcionamento do Conselho Tutelar, mas os trabalhos do órgão continuam sendo executados dentro de uma pequena sala improvisada na Secretaria Municipal de Assistência Social.

Adautivo comenta

O presidente da Câmara Municipal de Boca do Acre comentou o fato e aproveitou a oportunidade para escrever em sua página, no facebook, para retratar outros assuntos que têm gerado desconforto.

“É tão desesperadora a situação do nosso município, que o prefeito, por exemplo, não dialoga com os vereadores que compõe a base que lhe sustenta na CMBA, servidora do quinto escalão do setor de pessoal estava supostamente fraudando a folha de pagamento da prefeitura, os fornecedores estão com o pagamento atrasado e não será surpresa para mim o anúncio de um racha político entre o prefeito e o seu vice, nos próximos dias”, pontou o presidente.